18/08/2009

CAUSA DE POLVO COM MOLHO CHIMICHURRI DE MANGA E AJI


Eu nunca imaginei que seria mãe tão cedo. Sempre fui a filha única, mimada, que tinha tudo oque queria a hora que queria. E filhos, nossa, filhos nem passavam pela minha cabeça. Nem tinha muita paciência com meus priminhos (que hoje amo como se fossem meus filhos apesar de estarem gigantes). Quando engravidei da Bia, com 19 anos, fiquei apavorada, era inexperiente nessa área, não trabalhava e nem tinha uma relação estável. O fato é que a chegada da Bia abriu minha cabeça e me fez aprender muita coisa. Quando engravidei do Pedro já foi completamente diferente. Quando tive a Bia minha mãe fazia praticamente tudo, já com o Pedro, não deixava ninguém fazer nada, me matava com a dor da cesárea mas fazia tudo sozinha. E hoje uma coisa é fato: Não me vejo mais sem filhos. São as coisas mais importantes que Deus me deu até hoje. São joias preciosas que deve ter orgulho de ter. Claro, ainda gosto de sair, de me divertir. Mas minhas predileções hoje são outras. Troca fácil uma balada por uma ída ao Parque da Mônica com os pentelhos. E hoje sou feliz assim, mãe de dois e esposa.!!
Como sei que quase todas ou pelo menos a maioria das minhas leitoras tem o privilégio na vida de ser mãe (os papais blogueiros também) vou postar uma matéria curta mas bem bacana sobre o tempo de pais filhos juntos. A correria do dia a dia as vezes nos impedem de dar a atenção que queríamos aos nossos filhos. Mas isso é um ponto que temos que prestar muita atenção e nem que seja uns 10 minutinhos diários, arranjar esse tempo tão precioso com as pessoas que mais amamos na vida: nossos picurruchos!!


Quando a família fica toda junta

A conversa em família é o passatempo favorito de 60% dos pais e filhos ouvidos pela Research International Brazil, na pesquisa A Nova Dinâmica Familiar, divulgada no ano passado pela Viacom Networks, distribuidora dos canais Nickelodeon, VH1 e MTV Hits. Em seguida, vêm assistir DVD com pipoca (58%) e ver desenhos e filmes na TV (50%). De acordo com a psicóloga e socióloga Beatriz Mello, gerente de pesquisas da Viacom, a presença da conversa como atividade nos momentos de lazer é uma novidade nas pesquisas sobre o assunto. “Pais e filhos sabem que os momentos de convivência são restritos e investem na conversa para aumentar a proximidade”, ela justifica. O psicólogo Hélio Deliberador vê um problema nesse esquema: “As famílias andam muito encerradas no mundo doméstico. E as crianças precisam de experiências mais variadas”. Para ele, o pouco contato com o mundo exterior, além de embotar a imaginação, favorece mazelas como passividade excessiva, desinteresse e até depressão. Outro alerta vem da psicóloga Magdalena Ramos, de São Paulo, para quem é impossível desvincular qualidade de tempo de quantidade. Ela lembra que ficar em casa não é o mesmo que estar com os filhos. “Mas não é uma hora semanal de conversa e brincadeira que vai garantir qualidade”, avisa.



Para melhorar o clima

• Brincar, cantar, passear e fazer coisas juntos (seja uma torta ou um carrinho de rolimã) também são formas de interagir e se comunicar com a criança.
• Tirar a TV do centro da casa pode incentivar o engajamento de todos em atividades variadas, aumentando a proximidade.
• Para quem nunca tem tempo disponível, o jeito é inventar oportunidades de convivência, como escapar na hora do almoço para um sorvete com o filho na saída da escola, e caprichar nos finais de semana.

O texto é pequeno mas acho muito importante quem trabalha muito e tem filho parar pra refletir se está dando a atenção suficiente. As vezes, passamos batidos e nem damos bola pras coisas que eles nos falam. Até ralhamos as vezes por nada. Recebi um e-mail uma vez de uma menino que fez uma redação na escola onde ele tinha que dizer oque ele gostaria de ser. Ele respondeu que gostaria de ser uma televisão, assim o pai dele passaria suas horas da noite com ele, sua mãe prestaria atenção nele todos os dias e seus irmãos se divertiriam muito com ele. Ele preferia ser uma televisão desde que toda sua família começasse a prestar atenção nele. As vezes um beijo ou um simples abraço é o suficiente para demonstrarmos o amor que sentimos por eles. Vamos pensar mais nisso!!!

Fonte: http://claudia.abril.com.br/
http://www.overmundo.com.br/

Agora, indo pra parte engordativa deste blog, e voltando a minha aula peruana, vamos hoje de Causa de Polvo com Molho Chimichurri de Manga e Aji. Causa é uma entradinha peruana, feita a basa de creme de batata e sempre coberta e recheada com algum ingrediente. Valha me Deus, esse trocinho é dos Deuses. Mas para me satisfazer teria que comer pelo menos uns 3 pratos como o da foto. A receita tem várias etapas mas não é difícil e acreditem, vale muito a pena!! Arriba muchacho!!

CAUSA DE POLVO COM CHIMICHURRI DE MANGA E AJI

Ingredientes causa: 4 batatas cozidas, 2 colheres de óleo, suco de 1 limão, 1 colher de café de aji, 1 pitada de sal.

Recheio: 1/2 abacate maduro e firme cortado em cubinhos, 1 ovo cozido, 1 tomate sem pele e sem sementes cortado em cubinhos, sal, pimenta do reino, azeite e limão.

Chimichurri: 2 tomates vermelhos sem pele, 1 cebola roxa cortada bem pequenininha, 1 pitada de orégano fresco, 1/2 manga meio verde, azeite, vinagre e sal.

Polvo: 4 tentáculos de polvo, azeite extra virgem, sal.

Maioneze caseira: 2 ovos, sal, pimenta do reino a gosto, óleo o suficinete para dar textura, um punhado de coentro fresco picadinho.

Faz Assim: Causa: Amasse as batatas em espremedor e acrescente os outros ingredientes, misture bem e reserve.

Recheio: Misture todos os ingredientes.

Monte a causa: Abra um pedaço de papel filme. Disponha a massa de batata sobre o filme como se estivesse abrindo uma massa. Coloque o recheio em enrole como se fosse um rocambole, moldando bem com o auxílio do papel filme. Enrole bem os lados e leve a causa a geladeira até a hora de servir.

Chimichurri: Coloque azeite numa frigideira e doure levemente a cebola com sal. Em uma tigela misture todos os outros ingredientes e a cebola. Pode temperar com um pouco de pimenta branca e limão. Reserve.

Maioneze Caseira: Coloque os ovos, o sal e a pimenta no liquidificador e começe a bater. Aos poucos, vá acrescentando o óleo em fio até adiquirir a conscistencia de maioneze. DEspeje numa tigelinha e misture o coentro. Reserve

O Polvo é a última parte. Cozinhe em água salgada por 2 horas ou até espetar um garfo e senti-lo bem macio. Corte os tentáculos em cubos de uns 7 cm e grelhe numa frigideira com azeite.

Montagem: Retire a causa da geladeira e corte em rodelas de 3 cm. Disponha as rodelas no prato de servir. Cubra com um pouco da maioneze. Coloque sobre cada rodela, um cubo grelhado do polvo. Coloque uma colherada do chimichurri e enfeite com um talinho de nirá. Sirva.

ps* O povo peruano adora esse prato da maneira mesmo como foi criado. Frio. Mas a chef teve probelmas aqui no Brasil, portanto, no seu restaurante, ela serve a causa quente, que o povo daqui prefere.

ps2* Procure fazer a maioneze com ovos pasteurizados. É mais seguro e confiável.

ps3*Se a maioneze ficar muito densa, alongue ela com um tiquinho de suco de tangerina. Da leveza a textura e um sabor incrível.







17 comentários:

Tânia Saj disse...

Carol...não é raro a gente ver mesmo pais que delegam até a simples presença com os filhos a babás....
Achei ótimo seu post....é uma questão de refletir sobre o que é importante para a formação emocional de um filho. Depois quando ele for adolescente, não vai adiantar reclamar e perguntar onde errou, né?
Ai, ai, ai....essa sua "Causa" causou....
Uma mistura de sabores que certamente eu vou gostar de provar!
Beijinhosss

ameixa seca disse...

Não conhecia Causa mas adoro polvo. Deve ser bom, bem chique o aspecto :)

Ana Medeiros disse...

Ai amiga, que fino! Adoro polvo, comia muito lá nas prainhas do nordeste.

Qto aos pais, babas e filhos...Eu quero criar os meus, do meu jeitinho!

É isso ai amiga

Beijos

Iliane disse...

miga adorei o papo sobre pais e filhos..sem comentarios mesmooooooo!!!agora....essa "causa!"!!!!que diferente e linda!!!eu amei..bjus

mundoverdeblog disse...

Oi Carol!
Muito bonito o texton que você escrveeu sobre os filhos... A hora da refeição também é um momento especial para essa troca de experiências em família. No Blog do Mundo Verde tem um post sobre Slow Food que fala da importância de resgatar esses bons momentos na alimentação em família...

Paula Pacheco disse...

Carol que maravilha de texto, sim filhos para mim são tudo também, mudei minha vida desde que meu primeiro filho nasceu, ja quase nem saimos á noite para ficar com as figurinhas carimbadas hahahahah...tento esqueçer a bagunça, o cansaço e pensar no sorriso, o olhar carinhoso que eles nos proporcionam...voltando a receita adorei...vc esta fazendo algum curso sobre comida peruana? é muito bacana...
bjs
Paula

Paula Pacheco disse...

Carol que maravilha de texto, sim filhos para mim são tudo também, mudei minha vida desde que meu primeiro filho nasceu, ja quase nem saimos á noite para ficar com as figurinhas carimbadas hahahahah...tento esqueçer a bagunça, o cansaço e pensar no sorriso, o olhar carinhoso que eles nos proporcionam...voltando a receita adorei...vc esta fazendo algum curso sobre comida peruana? é muito bacana...
bjs
Paula

Nela disse...

Olá Minha Filha Emprestada! cá venho dar um ar da minha graça, visto ter cada x menos tempo querida, sabe tem razão quanto aos pais, eu tenho só uma filha pq quis apenas, mas sempre fui muito presente sempre além de mãe, ainda hoje a melhor amiga com quem converso e sei ouvir, deixei na altura em k ela era pequena visto agora ser adulta, de ir a muitos lados, pq achava e fui mãe com 21 anos k ela precisava de toda a minha atenção,e para onde fossemos eu a levava, nunca a deixei a não ser quando ia trabalhar claro, com a minha mãe e k eu tinha grande confiança. Mas agora tenho visto e cada x mais, os pais k em x de perderem uma hora com os filhos, preferem ficar no café ou noutro sitio durante 3 h, e não vão aos parques e onde eles adoram estar, depois dizem k a joventude está mal educada, claro metade das x é culpa dos pais mesmo, pq não têm tempo para falar com os filhos, nem para os ouvir tão pouco, adorei tudo o k escreveu assim como a receitinha. Beijinhosss.

inspirações da Jô disse...

Bem essa minha fase de filhos já passou, já que minha filha(única)tem seus 27 anos; estou na fase vovó que faz tudo o que o neto quer...é uma delícia passear com ele, levar ele pra tomar o lanchinho preferido dele,brincar, enfim, fazer parte do dia a dia dele e vê-lo crescer inteligente e saudável!!!E eu aproveito mesmo essa fase, pois passa tão depressa!!!!!!
Quanto ao polvo,ainda não experimentei, mas pela imagem deve ser ótimo!!!!!!
Beijinhos e até mais!!!!!!

Laély disse...

Se eu disser que não como essas coisas, cheias de perninhas, você vai dizer que eu sou fresca?!
Carol: corri tanto esta semana, que não deu tempo de parar nos Correios. Darei uma olhadinha amanhã, obrigada!

Mary disse...

Parece-me um prato muito requintado!
Eu adorava provar, até porque nunca ouvi falar da causa de polvo...
Sempre a aprender! hehehe:)

Larissa disse...

Carol...que saudade! Amiga, eu andei sumida, muitas coisas aconteceram do lá do cá (nem todas boas)e eu precisei dar um tempo de algumas coisas, inclusive do blog. Nuvens negras prescipitaram, o campo floresceu e tô de volta. Tinha que passar aqui, pois é dos meus blogs preferidos. Aprendo muito com o Cerejinha, sem contar o repertório musical (adoro jamiroquai rs)! Já estou acompanhando como seguidora, não dá prá ser diferente. De novo: saudades! Bjs

Cherry Blossom disse...

Ser mãe é algo divino realmente e aproveitar cada momento com os pequenos é importante, tudo passa tão rápido, a vida é tão efêmera...

Ai! Senti o gostinho de cada etapa desse prato,acho que eu o aprovaria totalmente! Coisa boa essa!
beijinho!

Eu Mulher disse...

Infelizmente ainda não tive o gosto de ser mãe.

Adorei o prato de hoje! Fiquei babando com essas receitas... hummmm


beijinhos

Ana Powell disse...

Gostei imenso de ler a tua introdução e compreende bem o amor incondicional de mãe.
O meu filhote já tem 22 anos e mesmo assim não me deixo de preocupar x

Verena disse...

Carol, é tão bom ser mãe...também não consigo me imaginar sem meu pequeno! O texto é muito bom!
Que diferente esta receita!!! Nunca tinha ouvido falar...eu não gosto de polvo...mas deve ser bem interessante!
Beijos e ótimo final de semana!

Naninha disse...

Familia unida é tudo de bom hein?!
Menina que comidinha chiq?! Hummm tudo de bom!
Beijos