04/08/2009

CHUPE DE CAMARÕES

PERÚ Ontem, depois de um bocado de tempo, fui fazer uma aulinha básica na minha escola do coração. Aula Peruana. Nem imaginava como seria mas também não imaginava a maravilha que foi!! Uma aula clara, objetiva e muito bem explicativa. A chef então, me encantou, como pessoa e como profissional. Mulher batalhadora e guerreira e apesar de ser brasileira, tem como paixão a culinária peruana que vem desenvolvendo ha anos, mais precisamente 13. Foram 3 horas de aula com 4 pratos surpreendentes. Até agora não sei qual foi meu prato preferido, só sei que com certeza reproduzirei os 4 aqui em casa o mais rápido possível. Já alerto que são pratos de sabor um pouco forte mas muito, muito saboroso. Quem for gourmet assumido aconselho a tentar o preparo pois vocês vão amar!! Mas pra quem tem o paladar mais sensível, acho melhor pensar bem antes. Ia esperar fazer os pratos pra passar as receitas mas não vou aguentar. Antes, vamos aprender um pouco, conhecendo mais sobre essa culinária fabulosa e surpreendente.

CULINÁRIA PERUANA

O Peru é riquíssimo em variedade de espécies de peixes e utiliza os pescados em sua culinária desde os tempos dos índios pré-colombianos. Além da batata e do milho os conquistadores espanhóis trouxeram novos ingredientes que se somaram aos já utilizados.
Outras culturas como a italiana e principalmente a oriental - representada por chineses e japoneses, deram origem à culinária peruana, conhecida hoje e muito apreciada em toda a europa e que está sendo bem representada em São Paulo por uma variedade de restaurantes especializados.
Os imigrantes chineses importavam sementes, desde o “jolantau” (alverjas chinesas) até o “chion” (gengibre) e o “sillao”. Depois de cumprirem seus contratos de trabalho, se assentavam nas cidades do litoral, abrindo pequenos estabelecimentos de comida.
Logo os peruanos aprenderam a gostar da nova comida, simples e saborosa e que era vendida nas ruas próximas ao mercado central, onde atualmente é o Bairro Chinês. Um dos pratos que misturou influências da China e do Peru é o “lomo saltado”. As técnicas de fritar movendo chegaram ao Peru na segunda metade do século XIX e colocaram na mesma panela o “ají” peruano junto com o “chion” e o “sillao”. Uma prova da importância da culinária chinesa no Peru é o fato de que, depois de 50 anos da chegada dos imigrantes, praticamente todas as famílias ricas e elegantes de Lima tinham um cozinheiro chinês.
Em 1899, chega ao Peru o navio “Sakura Maru”, trazendo 790 imigrantes japoneses. Estes imigrantes deixaram marcas definitivas na gastronomia peruana. Da mesma forma que os chineses, os japoneses chegaram sozinhos para trabalhar nas fazendas do litoral e também tiveram de trabalhar arduamente no campo. Porém, na década de 20, trouxeram suas famílias e permaneceram no país.
Foi nesta época que surgiram os primeiros restaurantes japoneses e a cozinha peruana incorporou o shoyo e o missô. As famílias japonesas comiam peixe, alimento que os peruanos não costumavam comer nos anos 20 e 30. No final da década de 50, já existiam em Lima alguns restaurantes japoneses que serviam pratos de peixe e mariscos frescos.
Os Incas comiam ceviche marinado em “chicha” (bebida proveniente da fermentação do milho) e vários sucos ácidos de frutas. Foi com a introdução do limão e da cebola pelos espanhóis e do peixe pelos japoneses que surgiu o tradicional ceviche, prato mais ilustre da cozinha peruana.


SOBRE A CHEF

SIMONE BERT

Ela não imaginava que o casamento com um peruano iria render a sua entrada na cozinha. Foi com a sogra, dona Carlota, que Simone aprendeu algumas delícias com frutos do mar e temperos saborosos. “Mas ela não me contava os segredinhos. Sempre observava atentamente e fazia igual” revela.
Pediu demissão do trabalho, voltou a Lima para aprender ainda mais, só que desta vez com a tia do seu marido. Retornou a Maceió e abriu o Wanchako, primeiro restaurante peruano no Brasil. Para que os ceviches - prato típico com peixe ou frutos do mar marinados em sucos ácidos de frutas - conquistassem os alagoanos, ela fez algumas adaptações: trocou o linguado ou corvina, peixes usados no Peru, por robalinho. Também optou por temperos levemente picantes e hoje em dia ainda inclui toques orientais.
Duas vezes por ano vai ao Peru buscar técnicas e ingredientes novos, o que permite fazer novas criações para o tradicional Ceviche, como, creme com alho-poró, ou atum e camarão.

Fonte: http://vilamulher.terra.com.br/
http://www.latinoamericano.jor.br/

E quem tiver sorte de morar em Maceió ou passar por aquelas bandas de vez em quando, não deixem de fazer uma visita ao restaurante .









Rua São Francisco de Assis, 93
CEP. 57035-400 - Jatiúca
Maceió - AL - Brasil
Tel. 55.82.3377-6114

Enfim, a receita


Chupe é uma sopa típica da região de Arequipa, muito saborosa. Sua receita tradicional leva arroz, tomate, leite, ervilhas e ovo pochê e aji, pimenta típica perunana.



AREQUIPA


CHUPE DE CAMARÕES

Ingredientes: 8 camarões grandes com cabeça e rabo (preferível pitú), 8 cubos pequenos de peixe branco (sugestão: robalo), 1/4 de xícara de óleo, 1 colher de chá de alho picado, 2 cebolas roxas picadas, 2 tomates sem pele picados, 1 colher de chá de extrato de tomate, 1/2 xícara de ervilhas frescas, 8 batatinhas pequenas amarelas cozidas e cortadas pela metade, 1/4 de xícara de arroz, 1 xícara de leite evaporado ou leite fresco, 1 tablete de caldo de galinha, 4 ovos, pasta de aji (pimenta peruana) pode ser substituida pelo tabasco, sal, pimenta do reino, orégano e coentro frescos picados para decorar.

Faz Assim: Refogue o alho e a cebola com óleo. Acrescente o extrato de tomate, o tablete de caldo de galinhae 4 xícaras de água. Leve a fervura e coloque os camarões e os cubos de peixe, deixando-os cozinhar por uns 2 minutos. Retire os camarões e os cubos de peixe do caldo e reserve-os. Adicione o arroz, o tomate, o orégano, a ervilha e as batatas já cozidas ao caldo. Quando o arroz estiver cozido no ponto desejado, coloque o leite e o aji. Junte as gemas batidas separadas das claras e depois de um minuto, junte as claras também. Não mexa demais para que as claras fiquem cozidas aos pedaços. Quando os ovos estiverem cozidos está pronto. Sirva da seguinte maneira: Coloque em travessinhas individuais 2 camarões, 2 pedaços de peixe epor cima de tudo a sopa. Sirva bem quente!!


Dicas: Você pode também, na hora dos ovos, quebra-los inteiros no caldo, assim ele cozinha porchê inteiro. Se você quiser também pode colocar as gemas sem bate-la, inteiras sem quebrar, assim quando quebra-la, dentro vai ter a gema molinha e quentinha.




100 em quesito profissional, pessoa e simpatia. Virei fã.

10 comentários:

ameixa seca disse...

Gostava muito de conhecer várias comidas por esse mundo fora, deve ser uma experiências enriquecedora :)

Iliane disse...

amiga...deve ser dos deuses..essa comida!!fiquei parada olhando a foto...bom demais..eu amie..bjus

Paula Pacheco disse...

Oi Carol
Que maavilha esta reportagem sobre o Peru...e a receita que beleza...a foto do prato então...sabe que eu adoro camarão de qualquer jeito...na sopa, no arroz, puro...valeu por essa dica,

bjs
Paula

Claudia Rumi disse...

Conheci o Wantchako e adorei e realmente era o único peruano no Brasil até abrir o La Mar em SP. Vi esse curso na Wilma Kovesi da outra vez que ela esteve lá e fiquei com vontade.Que bom que vc foi e explicou a respeito do Peru e deu a receita de bandeja. Ela parece muito simpática mesmo!!!Legal essa foto final!! bj
claudia

angela disse...

que post maravilhoso.parabéns. bjs

Bárbara disse...

carolzinha!!!!
q maravilha heim!!
deve ser tdo isso...
bjuss

Tânia Saj disse...

Que delícia deve ser isso, não Miga??
Se vai camarão...deve ser ótimo!!
Lindas fotos!!
Beijinhosss

Naninha disse...

Ai que maravilha e quem ganha com essas tuas aulas somos nós. Ebaaaa!
Que sopinha mais reconfortante, aqui bem que poderia fazer um friozinho pra eu fazê-la.
Beijosssss

inspirações da Jô disse...

Devem ser muito saborosos,nunca experimentei, mas como adoro camarão creio que são ótimos!!!!E o tempero dos peruanos é mesmo muito forte, mas apreciável!!!!!
Beijos !!!!!!!

Luciana disse...

Que maravilha de postagem, eu como gosto de experimentar me agradaria por demais com esse prato.
Bjos, Lú.